Construção sustentável

No ano de 1987, a Comissão Mundial da ONU sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento apresentou um documento chamado Our Common Future onde se cunhou o termo agora popular de Desenvolvimento Sustentável. 

A sua definição básica é:

“Desenvolvimento Sustentável é o progresso ou desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das futuras gerações satisfazerem as suas próprias necessidades.” 

A ideia de desenvolvimento sustentável começou a difundir-se à medida que crescia a consciência sobre os limites dos recursos naturais. As muitas frentes de discussão sobre o assunto enveredaram por aspectos económicos, sociais e ambientais, tais como a busca de formas alternativas de energia substituindo o petróleo, o tratamento de florestas para evitar a sua extinção ou o exercício de uma arquitectura sustentável.

Quanto à construção, muito pode ser feito para defender o meio ambiente e o sistema LSF pode, sem dúvida, ser considerado uma construção sustentável, ou denominada pelo popular termo “green building” visto que promove uma maior eficiência económica, uma enorme poupança de recursos naturais e humanos e um menor impacto ambiental nas soluções adoptadas nas fases de projecto, construção, utilização, reutilização e reciclagem da edificação.

Numa construção LSF, o baixo peso dos materiais reduz os meios de transporte, e o consequente consumo de combustível. O peso lançado sobre os solos, especialmente no caso de encostas ou terrenos instáveis, é extremamente reduzido. Também os ruídos de máquinas transportadoras e elevatórias é eliminado. Apesar das grandes dimensões dos mesmos, a utilização de sistemas de fixação mecânica, a aplicação de argamassas de rápida secagem para rebocos exteriores, a facilitada colocação de tubagens e condutores eléctricos devido a não ser necessária a abertura de roços e ainda muitas outras técnicas fáceis e rápidas utilizadas nos edifícios LSF, diminuem consideravelmente a mão de obra e, consequentemente, o tempo necessário para a conclusão dos trabalhos, diminuindo ruídos, constante movimento de veículos e outros impactos na vizinhança.

Em toda a obra a água é praticamente desnecessária. Todos os materiais empreguem na estrutura e no elemento térmico são provenientes de empresas certificadas, gigantes mundiais que se preocupam com o meio ambiente dedicando grande parte da sua investigação ao desenvolvimento sustentável. No entanto, todos estes aspectos referem-se apenas ao período da obra. Depois de pronta, existe grande poupança de energia devido ao bom isolamento do edifício. Visto que o gesso regula a humidade interior, contribui para um ambiente mais saudável. Alterar a disposição de paredes permite reutilizar o metal da estrutura. Também a totalidade dos materiais usados na estrutura e no isolamento térmico de um edifício LSF pode ser reciclado ou reaproveitado na totalidade. Tanto o aço como o betão ou o tijolo, possuem muita energia incorporada, isto é, energia usada na fabricação do material, no entanto, o aço têm o seu uso justificado pela possibilidade de reciclagem. As placas OSB são produzidas exclusivamente com árvores plantadas para o efeito utilizando apenas exemplares jovens e de pequeno diâmetro, o que permite a reposição frequente da floresta. E isto são apenas alguns exemplos.